Buscar

Um robô fazendo design?

Texto: Wilian Ferreira


Chega o fim de ano e começam as famosas listas de o que mais assistiu, mais ouviu e blá blá blá.



E o Spotify é um dos aplicativos que liberou a função, mas o que chamou mais atenção não foi o gosto atípico de alguns usuários, e o design de divulgação do que mais foi ouvido.


Sim, isso mesmo, e tudo porque as letras estavam esmagadas e bizarras no design.


Mas apesar da estética pagante, os profissionais da área discutiam se a arte foi feita por um profissional ou um boot.


Sim, já tem boot fazendo design.


E a conclusão foi de que o que vimos foi desenhado por um boot, o que fez um trabalho bem ruinzinho por sinal.


Será o fim do designer gráfico nas empresas então?


Essa é uma pergunta que não sei responder, ainda mais levando em consideração a automação de várias áreas profissionais.


Porém, o que não podemos deixar de discutir é até quando deve ser aceito que um robô faça u, trabalho intelectual?


Intelectual porquê o processo de criação de qualquer design envolve estudo, análise de mercado, impressões e testes e um robô age conforme sua programação, sem pensar por si.


Por mais que devamos evoluir no campo profissional, ainda é preciso discutir os limites de cada evolução e não comprar gato por lebre.


E qual a sua opinião sobre a automatização do design?